• contato@autismos.com.br

Texto Dr. Caíque Raphael Vieira

Texto Dr. Caíque Raphael Vieira

Mães, pais, terapeutas e professores já presenciaram ou ouviram falar de casos assim, algumas vezes a perseguição e sofrimento tornam-se tão intensos que pode até culminar no suicídio da criança/adolescente com autismo. Primeiramente devemos lembrar que o autismo não define quem a pessoa é, mas é uma importante característica formadora de seu caráter, em segundo lugar reforçar que NÃO EXISTE PROBLEMA em estar dentro do espectro autista, por último devemos ver como doença a falta de inclusão e empatia da sociedade para com quem “foge ao padrão”.
Os danos psicológicos para as crianças e adolescentes com autismo é imenso, podendo levar a perda de habilidades, isolamento, aparecimento de comportamentos agressivos e vergonha por ser quem é. Nossa sociedade está cheia de preconceito, mesmo entre muitos que se dizem advogados da inclusão e paladinos da justiça social, cabe a nós, pais, terapeutas, professores e pessoas portadoras de autismo, usarmos nossas vozes para que esses comportamentos não ocorram mais, para que não seja tolerado e receba punição. O dano para a criança no espectro é gigante, e, na maioria das vezes, o agressor sai impune, justificando como “era só uma brincadeira” ou, pior ainda, culpando o autista pelo ocorrido.
Eu digo basta, chega de ver as crianças sofrendo por preconceitos e ignorância de outros pais e filhos mal educados, chega de omissão de pedagogos e tutores nas escolas, chega familiares passando panos quentes para pessoas preconceituosas e cruéis.
Quem já viu as lágrimas de seus filhos sabe o quanto dói, e, para mim, todos os pacientes são como filhos e digo para todos NÃO É VERGONHA SER PORTADOR DE AUTISMO, TENHA ORGULHO DE SER QUEM VOCÊ É, O AUTISMO TORNA VOCÊ MAIS ESPECIAL E MAIS HUMANO.
Peço que defendam as crianças, TODAS elas, e que o bullying seja punido e erradicado das nossas escolas.
A verdadeira inclusão só existe quando não olhamos para a diferença, aprendemos com ela.
Dr. Caíque Raphael Vieira
autismos