• contato@autismos.com.br

Arquivo da tag #judo #inclusão #vidas

Depoimento de Jonas Serafim policial aposentado, e Elaine Amaral da Silva microempresária, pais de Paulo Henrique Amaral da Silva 25 anos

Depoimento de Jonas Serafim policial aposentado, e Elaine Amaral da Silva microempresária, pais de Paulo Henrique Amaral da Silva 25 anos, portador de paralisia cerebral e atleta de Judô.
Essa é a história do Paulinho, Paulo Henrique Amaral da Silva.
Ele é nosso primeiro e único filho. Foi uma gravidez difícil, sendo que aos quatro meses de gestação já estava apresentando um quadro sério de contrações, o que me fez afastar do trabalho e ficar em repouso absoluto, e usando medicações para segurar o bebê. No dia 01o. de janeiro, estávamos na casa da minha mãe e  comecei a sentir tipo uns beliscões na barriga, e minha mãe sugeriu que eu fosse ao hospital ver o que estava acontecendo. Chegando lá a médica que me atendeu pediu exame para ver como estava. Então, nos assustou bastante, dizendo que o bebê estava nascendo. Mas que era muito cedo e que estava sentado. Foi feito uma cesária de emergência e Paulinho nasceu!
Ficou na UTI neonatal e dali para frente começou uma luta diária, pois ele nasceu com seis meses, não tinha seus pulmões formados e precisava de um respirador artificial.  Devido a esse diagnóstico teve três paradas respiratórias, uma logo que nasceu e mais duas depois, o que ocasionou a falta de oxigenação no cérebro que afetou todo o lado esquerdo do corpo.
Teve paralisia cerebral. Ficou 45 dias internado na UTI após seu nascimento e nenhum médico nos davam esperanças devido ao quadro grave que se apresentava.
Para nós, pais de primeira viagem, foi duro. Mas não perdemos as esperanças e até que ele venceu e teve alta.
Fez fisioterapia desde um aninho, natação, teve atendimento na AACD durante 3 anos e meio, e também fez equoterapia para melhorar a coordenação motora.
E nós sempre atrás de meios para que ele pudesse ter uma qualidade de vida melhor.
Para nós foi muito difícil, sofrido, uma luta desde que ele nasceu, pois os médicos diziam que ele seria uma criança vegetativa e que teríamos que nos acostumarmos com isso.
Contrariando as previsões, ele caminhou com seis aninhos, depois de muitas cirurgias. Foi um guerreiro!
Mas para nós foi muito sofrido, pois só quem passa por uma situação dessa sabe o que é conviver com as diferenças, pois elas existem.
A adolescência dele foi difícil, conturbada com muitos conflitos, falta de aceitação e sofrendo com o preconceito. Nós sofremos duas vezes, porque não queremos que nossos filhos sofram.
Porém seguimos em frente lutando a cada dia, e posso dizer que Paulinho é um vencedor. É inteligente, estudou em colégio normal, se formou no ensino médio, entrou na faculdade. Entende tudo de computação sem nunca ter feito curso profissionalizante. Trabalhou na Unisinos na área de informática.
É um ótimo filho! É nosso orgulho!
É um menino de ouro, amável, sem vícios, muito esforçado e corre atrás de seus sonhos e objetivos.
Só temos a agradecer a Deus por esse filho maravilhoso que nos deu.
É nosso orgulho, é tudo para nós. Paulinho nos traz muitas alegrias. É inteligente, determinado e muito amoroso com a família.
E como já foi falado, ele cada vez nos surpreende.
A mais ou menos 5 anos, ele através de uma amiga, procurou o Judô como forma de melhorar o equilíbrio e já que precisa fisioterapia constante. E foi através do judô que ele começou um novo desafio, pois não ficaria só no treinamento, ele queria ir além, queria competir.
Começaram as competições internas da GABA, academia que participa. E através das amizades que fez conheceu os atletas olímpicos da seleção brasileira de judô. Realizando assim mais um sonho.
Certo dia eu fui levá-lo na SOGIPA para participar de um treino com os ídolos dele e conheci o Professor Moacir e falei com ele da disposição do Paulinho e seus sonhos. O Moacir me passou o contato do Professor Ricardo Lúcio (do Judô Para Todos) que nos apresentou o projeto.
Paulinho começou a participar de competições nacionais e, para alegria dele e nossa, trouxe muitas medalhas. Em abril de 2018 foi a grande vitória, foi campeão na sua categoria no Mundial de Judô Para Todos, na Holanda.
Agora como campeão mundial não para por aí. Quer sempre participar de todas as competições e trazer para nosso estado a modalidade e alcançar o seu maior sonho: chegar a faixa preta e poderajudar outras crianças com dificuldades.
Esse é o nosso ídolo: Paulinho, campeão mundial de Judô.