• contato@autismos.com.br

Arquivo da tag #autismo # inclusão # vidas

Quando as pessoas acham que ser AUTISTA é um peso

Quando as pessoas acham que ser AUTISTA é um peso.

Quando eu noivei, todos estavam preocupados comigo, mas também demais preocupados com meu ex-noivo.

Embora ainda eu não tivesse diagnóstico, tinha toda uma história de limitações e crises, dificuldades e singularidades, coisas bem diferentes de todos as outras em minha volta.
Todos me enchiam de perguntas e isso me sufocava.
– ELE SABE DE VOCÊ?
Se referindo as minhas dificuldades.
– JÁ EXPLICOU PARA ELE SEU PROBLEMA?
Como se fosse carregar um peso para o resto da vida.
– CONTOU SOBRE SEU JEITO?
Como se o que eu sou de fato fosse algo muito muito sério ao ponto de não merecer uma vida como todo mundo.
Já tentei explicar que sou DIFERENTE, que tenho limitações, que não serei uma mãe comum e que não serei uma mulher como todas as outras, mas que sou amiga, parceira, que tenho valores, responsabilidade e compromisso.
As pessoas viam como se meu ex-noivo fosse uma boa pessoa amando uma pessoa igual a mim, que talvez ninguém mais iria me aceitar, sabe o que é pior?
Por alguns momentos também pensei isso. Mas na verdade era que eu que estaria fazendo um “FAVOR” a ele.
Um homem de 30 anos, imaturo, mimado, não sabia fazer nada sem a mamãe, nunca teve compromissos na vida, responsabilidades.
E, eu, a “ANORMAL”, estava muito amadurecida, com responsabilidade de cuidar dos meus pais, de sustentar minha família, de cuidar das dispersas, finanças e problemas reais de adultos.
Vi que eu teria sérios problemas, pois eu estava evoluída demais.
Sentei com ele disse: – Não poderei ser sua mãe. Infelizmente terás que crescer para me acompanhar. Estou disposta a lhe ajudar no seu crescimento. Serei sua esposa, amiga, parceira, mas jamais mãe, estamos entendidos?!
Quando temos uma deficiência seja ela qual for, as pessoas tendem a achar que os parceiros, SEM DEFICIÊNCIA, é que levam toda a carga, que terão que lidar com o peso e responsabilidade da nossa deficiência e limitações, nos colocam como peso e impotentes diante de tudo.
Na verdade ter uma deficiência e namorar, casar com alguém sem, não é para ser colocado no parceiro um rótulo de ” Ele (a) é incrível por aceitar sua deficiência “.
Pessoas deficientes podem ser tão capazes e preparadas para uma relação que o parceiro (a) sem deficiência pode ser o problema, sério problema. Pois, acontece que pelas nossas limitações aprendemos a lutar, se adaptar e superar, amadurecer e nos tornamos fortes, enquanto o outro que nunca teve dificuldades se torna limitado e imaturo. Bem sério isso.
Acho que as perguntas e preocupações deveriam ser DIFERENTES, não sobre MEU ex está preparado para casar com uma pessoa com deficiência, mas se eu estava preparada para casar com alguém que não tinha estrutura nenhuma para me acompanhar, pois estava muito a frente dele em Tudo.

P.S: Ser deficiente não nos torna menos que ninguém.

Naty Souza, 33 anos, escritora e autista.