• contato@autismos.com.br

O Balanço – Giselle Ávila

O Balanço – Giselle Ávila

O BALANÇO! O que aprendemos sobre essa estratégia…
O sistema vestibular é um dos sete sentidos do corpo humano.
Ele é o responsável pela direção e velocidade dos movimentos dos olhos e da cabeça, por manter o tônus muscular e por coordenar os movimentos do corpo.
O sistema vestibular, ou o sentido do movimento, possui um papel fundamental no desenvolvimento psicomotor.
As alterações do processamento vestibular podem se manifestar de diversas maneiras, variando desde reações de hiper a hiposensibilidade ao movimento, podendo estar ou não acompanhadas de agitação ou lentidão motora.
Podemos observar a hipersensibilidade nas crianças que sentem náuseas nos balanços ou veículos em movimento, têm medo de altura, não gostam de correr, não conseguem nem de estar perto de outras crianças correndo e brincando em parquinhos, por exemplo.
A hipossensibilidade pode ser notada nas crianças que não têm noção do perigo, sobem em locais altos, esbarram nas coisas com frequência, têm necessidade de correr, pular, girar e se movimentar excessivamente o tempo todo.
Não conseguem ficar paradas, principalmente em ambientes onde isso se exige, como a espera de uma consulta médica ou a sala de aula, por exemplo. (Esse é o Pedro 🙈)
No autismo, além desses sinais mais comuns, as alterações no processamento vestibular podem se manifestar também como por busca intensa por movimentos repetitivos do próprio corpo, como andar rapidamente de um lado para o outro no ambiente, girar o próprio corpo ou mover várias vezes um objeto no campo visual periférico.
Em casa também podemos auxiliar na modulação deste sentido, através de camas elásticas, bolas, balanços, escorregadores, brincadeiras com rodopios, danças, tirolesa, etc.
Geralmente, essas crianças apresentam melhora na concentração e na comunicação logo após praticarem essas atividades.
Experimente ver se o seu filho tem mais facilidade para uma atividade sentado após uma atividade física (especialmente balançando ou outra atividade de movimento). A ativação do sistema vestibular geralmente tem um efeito imediato sobre o sistema nervoso.
Encoraje atividades nas quais a criança fique deitada de bruços e consiga manter a cabeça erguida.
Tente brincar com blocos de construção ou outros brinquedos nessa posição, ou peça para o seu filho jogar objetos em um alvo enquanto está deitado de barriga para baixo em um balanço.
Incentive atividades “bilaterais”, como pular corda, nadar, andar de triciclo ou de bicicleta, patinar, etc.
Aqui é nosso objetivo esse ano… o Pedro ainda não consegue andar de bicicleta, na verdade esses movimentos bilaterais em geral (rs).
Alguns movimentos específicos (como balançar a criança) ajudam a trazer calma. Movimentos repetitivos tranquilizam e ajudam a manter a criança focada na própria sensação física.
Gire a criança sobre uma cadeira. Esse é outro exercício de estimulação vestibular e pode dar fim a acessos de emoções — tirando a atenção do pequeno do catalisador e redirecionando-a à própria sensação física. Cadeiras de escritório são as melhores opções, já que rodam com facilidade.
O Pedro prefere o balanço… depois o pula pula… depois a bola de pilates (ele pode pular sentado)… e depois girar em uma cadeira com rodinhas… então sempre que percebemos uma agitação mais intensa, largamos tudo e tentamos uma dessas estratégias!
Giselle Ávila
Mãe Pedro, autista não verbal

 

autismos