• contato@autismos.com.br

Jornada de Trabalho

Jornada de Trabalho

Jornada de trabalho

Cuidar de criança autista, requer tempo e dinheiro, sendo portanto incompatível a redução de jornada de trabalho de pais de autistas com compensação de horário e com redução salarial.

Todos os Tribunais Regionais Federais, Tribunais Regionais do Trabalho, Tribunais de Justiça dos Estados e Varas de Fazenda Pública tem sido unânimes em determinar a REDUÇÃO DE JORNADA DE TRABALHO DE PAIS DE AUTISTAS SEM COMPENSAÇÃO DE HORÁRIO E SEM REDUÇÃO SALARIAL.

As sentenças e acórdãos tem sido prolatados no sentido de reduzir a jornada em até 50% da sua carga contratual, retornando, gradativamente, para a jornada original de forma condicionada a evolução prognóstica da criança.

Servidores públicos municipais, estaduais, federais e empregados públicos de estatais tem conseguido a redução de jornada de trabalho sem compensação de horário e sem redução salarial para cuidarem de seus autistas e com outras deficiências.

Quando uma pessoa com deficiência precisa da assistência direta e constante de terceiros, é possível que o familiar que o auxilia solicite a redução de sua jornada de trabalho na justiça, requerendo um regime de horário especial, sem sofrer redução salarial e sem necessidade de compensação.

O art. 98 da Lei 8.112/1190 garante horário especial aos servidores públicos da União que tenham cônjuge, filho ou dependente com deficiência, contudo exige compensação de horários, respeitando a carga horária semanal.

Judicialmente, essa posição tem sido revista. Magistrados têm se preocupado com o pleno exercício dos direitos sociais e individuais e a necessidade de integração social à pessoa portadora de deficiência dependente de terceiros, baseando-se no direito de proteção à família, às pessoas com deficiência, o direito à criança e o respeito ao princípio da dignidade da pessoa humana.

Desse modo, cabe pleitear na justiça esses direitos, pois as decisões judiciais têm sido no sentido de que se o deficiente necessitar de auxílio constante de um familiar, este pode ter sua jornada de trabalho reduzida sem alteração de salário e sem necessitar compensar.

Normalmente, essa redução é pleiteada pelos pais que possuem filhos com deficiência, mas nada impede que seja conferida a outros dependentes, como por exemplo, a um cônjuge ou companheiro que necessite cuidar de seu parceiro.

A título de amostragem, relatamos alguns:

1)O Tribunal Regional Federal da 1º Região já se manifestou garantindo a uma servidora pública federal a redução de sua jornada de 40 horas semanais para 20 horas semanais para cuidar de filho com Síndrome de Down, sem acarretar à servidora diminuição salarial ou necessidade de compensação.[1]

2)O Tribunal Regional do Trabalho da 17º região (estado do Espírito Santo), de modo semelhante, decidiu por reduzir a jornada de 40 horas semanais para 30 horas semanais de servidora mãe de criança com autismo. [2].

[1] Processo 513163320134010000

[2] Processo n. 0000041-80.2014.5.17.0000

Por Romeu Sá Barreto e Aline.
www.jusbrasil.com.br

autismos