• contato@autismos.com.br

Eu criei um mundo quando eu não tinha amigos – Depoimento 11-Naty Souza

Eu criei um mundo quando eu não tinha amigos – Depoimento 11-Naty Souza

Eu criei um mundo quando eu não tinha amigos
Embora muitos autistas tenham dificuldade de imaginar e brincar de faz de conta, por outro lado existem muitos outros que vivem no mundo imaginário.
No meu mundo eu criei cidades, amigos, cenários, vida. Era quase impossível viver no mundo real, eu vivia quase o dia inteiro viajando pela minha imaginação. Falava e brincava sozinha, falo sozinha até hoje, na verdade rio sozinha até hoje, me divirto sozinha também.
O lado positivo e negativo de se ter um mundo imaginário é como equilibrar isso.
O lado positivo é que evoluímos muito mais interagindo com nosso mundo do que com pessoas reais. Eu tinha um amigo imaginário que gostava de debater temas de livros que líamos, na minha família e roda de amigos ninguém lia e nem suportava me ouvir falando de livros.
O lado negativo é que nosso mundo passa ser tão interessante que nos isolamos ainda mais, no meu caso eu queria fugir das pessoas, passeios, encontros em família para ir viver meu mundo e meus amigos imaginários.
O ponto de equilíbrio, só consegui isso na vida adulta, interagir com as pessoas do mundo real entendendo que fazemos parte desse mundo que muitas vezes é obsoleto e mesmo que muitas coisas sejam desinteressantes, faz parte de nós estarmos no mundo.
E me permitir ir no meu mundo imaginário, pois é parte de mim, criar, viver aventuras, construir sonhos, ter interações que nos levam a outro nível de evolução humana.
Só para constar o mundo imaginário do autista não é fuga de realidade, não é esquizofrenia, não é para ser negado.
Falamos sozinhos, brincamos sozinhos, nos divertimos sozinhos com nosso imaginário, isso é parte de nós e parte do nosso funcionamento.
Muitas vezes falamos sozinhos para gravar algumas coisas, para reviver algum diálogo que não terminamos, para treinar para próximas interações e conversas, porque desde criança criamos esse hábito pelo fato de não conseguir interação e brincar com outras crianças.
Naty Souza
Autista, influenciadora digital, escritora e ativista
P.S. Falo sozinha até hoje. Tem dias que falo mais, principalmente, os dias que estou em conflitos e ansiosa.
autismos