• contato@autismos.com.br

Escola Ideal para alunos com autismo leve (S.A.) 

Escola Ideal para alunos com autismo leve (S.A.) 

Escola Ideal para alunos com autismo leve (S.A.)
Devido as características da pessoa portadora do autismo leve, principalmente da Síndrome de Asperger, o ideal seria termos instituições de ensino que pudessem atender as necessidades plenas desses alunos.
Com o foco em satisfazer plenamente estas particularidades, é importante que todo um conjunto de fatores estejam em funcionamento pleno e eficaz.
A instituição deve apresentar ações contínuas e sucessivas, com a finalidade de assegurar um maior preparo ao portador da Síndrome de Asperger, preparando-o para ser um ser sociável e independente em sua vida.
Dentre estas ações, podemos listar:
– Monitorar;
– Avaliar resultados;
– Rever estratégias;
– Progressos;
– Redefinir condutas;
– Implementar novos recursos e assim sucessivamente.
A instituição de ensino tem como meta as seguintes etapas de avaliação aos seus alunos:
– Sintomas autísticos;
– Habilidades cognitivas e seu desenvolvimento;
– Linguagem;
– Comunicação social;
– Habilidades de autossuficiência pessoal e social;
– Nível intelectual.
Estas etapas são concluídas da seguinte forma:
– Descrição das características de aprendizagem;
– Perfil e ritmo do progresso do estudante;
– Avaliações de resoluções específicas dos problemas de aprendizagem de determinados comportamentos.
Devemos avaliar o contexto escolar, onde deve apresentar:
– Métodos de instrução;
– Qualidade de interações professor-aluno;
– Oportunidades de participação;
– Ritmo de aula;
– Análise das respostas minuciosamente;
– Correção de erros;
– Duração de engajamento do aluno;
– Efetividade da condução dos comportamentos inadequados;
– Evolução dos comportamentos pós sociais;
– Uso de escalas de avaliação na qualidade na sala de aula, temos que ter alguns cuidados a fim de proporcionar um ambiente favorável ao aluno autista, sempre respeitando suas particularidades;
– Suporte visual: imagens claras e diretas de rotinas;
– Modificações de ambiente: prevenir comportamentos antissociais e estimular atividades de compartilhamento;
– Sistemas de reforçamento: recompensas e benefícios;
– Suporte de comunicação: figuras, materiais, cartas, sons do meio ambiente e pinturas categóricas;
– Sessões de múltiplas abordagens: salas especiais, materiais multi sensoriais, etc.
Como toda entidade que se determina a obter êxito num foco, todas partes devem ter o máximo de rendimento, e, para que isso ocorra com precisão, uma escola para Asperges possui uma equipe de avaliação e de apoio. Sendo estas:
– Psicólogo escolar: avaliação cognitiva, comportamental e aspectos da saúde mental;
– Pedagogo especial: condução de testes formais e informais acadêmicos e monitorização da adaptação curricular;
– Fonoaudiólogo: desenvolvimento de intervenções na linguagem em geral, pragmática e aplicada à necessidade social;
– Terapeuta ocupacional/ educador físico: aplicação sensorial, motora e adaptativa a atividades de lazer e recreação.
Professor Prates, Marcos Baptista

autismos