• contato@autismos.com.br

Depoimento – Vanessa Kraieski Jung

Depoimento – Vanessa Kraieski Jung

Como foi receber o diagnóstico?
 
A nossa história não foi muito diferente de tantas outras “famílias azuis”…
Johann teve um desenvolvimento absolutamente típico ou “normal” até o seu 1º aninho de vida … muito sorridente, atendia sempre quando chamado pelo nome, apontava, falava várias palavrinhas (inclusive papai e mamãe), se alimentava super bem, pedia colo, interagia com tudo e todos…logo após seu aniversário de 1 ano começamos a notar algumas mudanças sutis no seu comportamento, o que mais nos intrigava era o fato dele não olhar quando o chamávamos pelo nome, realmente parecia surdo.
Os dias foram passando e os sinais começavam a se tornar mais aparentes e preocupantes: ele parou de falar, passou a ficar fascinado por objetos que giravam, começou a andar nas pontas dos pés, passou a dormir muito mal, não se importava quando eu ficava o dia fora de casa, não pedia colo, poderia aparecer um monstro gigante na frente dele que nem dava bola, não chorava de fome ou sede, ou se estava sujo, passou a rejeitar vários alimentos que comia…
Enfim, começamos a ficar realmente preocupados. Assim que completou 1 ano e 6 meses ouvimos pela primeira vez a palavra AUSTIMO, numa consulta de rotina com a pediatra, saindo de lá já ligamos para o Neuropediatra indicado, e no dia seguinte já estávamos com o laudo em mãos.
Como muitas mães, passei a noite revirando o google em busca de depoimentos, tratamentos, especialistas, cura…etc.. e todos os sintomas de comportamento, manias e estereotipias que meu filho apresentava se encaixaram no Autismo.
Foi uma dor muito grande, momento de luto mesmo, vários dias chorando e me perguntando o porquê??
Mas com muita informação, apoio da família, amigos, excelentes profissionais, professores e grupos de apoio de mães de Autistas da região, superamos essa fase difícil e tocamos o barco… partimos para as terapias, palestras, seminários, cursos e muito aprendizado.
Por conta do diagnóstico do TEA já passamos por várias situações de sofrimento, de crises, de deitar no chão com ele e chorar junto, de não saber como agir, de olhares insensíveis, de várias situações de constrangimentos nos quais não sabia se ria ou chorava (quando ele desceu “peladão” do escorrega do parque (LOTADO!) dos Dinossauros em Pomerode, ou em outra ocasião, quando me ligaram do parque do shopping, enquanto estava no mercado, avisando que ele havia tirado a roupa e estava pelado mergulhando na piscina de bolinhas, ou veio do banheiro do restaurante comendo o rolo do papel higiênico como se fosse uma maça…Meu Deus!!) entre várias outras situações cômicas…risos…
O AUTIMO às vezes faz a gente chorar sim, mas arranca muitas gargalhadas também…
Hoje eu diria que uma palavra que define o Autismo em minha vida é TRANSFORMAÇÃO, pois com o diagnóstico do meu filho eu realmente me transformei, me adaptei a ele… aprendi a refletir mais, não julgar tanto as pessoas e me tornar uma pessoa melhor, mais sensível, tolerante, empática e paciente.
Me encontrei também profissionalmente como futura Pedagoga em Educação Especial e INCLUSÃO (adoro essa palavra), estou simplesmente AMANDO essa fase da minha vida, tendo a oportunidade de estudar, poder ajudar meu filho e, futuramente, poder contribuir para o desenvolvimento de outras crianças com TEA e também outras deficiências.
Hoje Johann está com 5 anos, já fala muito, como um papagaio ainda (ecolalia), mas vai chegar lá… Ele tem uma coordenação motora corporal muito boa graças as aulas de ginástica e natação do programa Paradesporto de Blumenau, está tendo um ótimo desenvolvimento cognitivo devido a um belíssimo trabalho realizado pelo CEMEA – Centro de Educação Especial, onde ele frequenta desde 1 ano e 8 meses, e contribui muito para as habilidades que ele já alcançou hoje.
Sou muito grata a esses dois projetos sociais gratuitos ofertados pela Prefeitura de Blumenau, ambos acolheram tão bem meu filho e promovem lindamente a Inclusão e o desenvolvimento de todos seus alunos com necessidades especiais.
Agradeço ao Grupo AutismoS a oportunidade de poder compartilhar um pouco da minha história e parabenizá-los pelo importantíssimo e exemplar trabalho voluntário de formação, sensibilização e a conscientização sobre o TEA, que vocês realizam com tanto amor e dedicação lutando sempre pela Inclusão.
Um grande abraço.
Vanessa


Descrição da imagem: #PraCegoVer
Card com fundo azul escuro com faixa branca centralizada e escrito em azul escuro: AutismoS & Depoimento. Na parte inferior à direita, está a logo do Grupo AutismoS: 4 mãos coloridas: amarela, vermelha, azul clara e azul escura; logo abaixo das mãos, há escrito: autismoS em azul escuro; e na sequência, grupo de apoio educacional
autismos