• contato@autismos.com.br

Depoimento de Caroline Prange Salvador, administradora e mãe de Enrico, autista.

Depoimento de Caroline Prange Salvador, administradora e mãe de Enrico, autista.

“O Enrico foi um bebê muito desejado e comemorado. Chegou ao mundo grande, saudável e perfeito. Muito tranquilo, dormia as noites inteiras, chorava pouco e sempre foi bastante simpático. Não apresentou nenhum atraso no seu desenvolvimento até por volta de 1 ano e 6 meses. Mamãe achava estranho o fato dele não abanar, não mandar beijos, nem sempre olhar quando chamado e demorar para fazer contato visual com outras pessoas. Perto de completar 2 anos, o Enrico falava poucas palavras, mas já reconhecia todas as letras do alfabeto e os números até 10. Dava a impressão de aprender uma palavra nova e esquecer a que já falava. Na creche, costumava se isolar dos coleguinhas, parecia não enxergar as crianças. Sua forma de brincar também chamava a atenção, sempre enfileirando, organizando os brinquedos, não se preocupando com a sua funcionalidade. Fomos chamados pela coordenadora da creche, que de uma forma amistosa disse: “O filho de vocês é diferente das outras crianças. Vocês precisam procurar um médico!” E as percepções da mamãe estavam corretas!!! Foi um momento muito difícil em nossas vidas. Saímos da Neuropediatra com a possibilidade do nosso tesouro não ser perfeito. E o medo do desconhecido, de quais limitações, de uma dependência de cuidados/ajudas eternos, do preconceito e discriminação tomaram conta dos nossos corações de pais, marinheiros de primeira viagem. Logo começamos as terapias e as transformações começaram a acontecer. O diagnóstico de autista foi fechado quando o Enrico estava com 2 anos e 6 meses. Ele é o nosso tesouro! Melhor presente de Deus em nossas vidas! Ele ser autista torna nossa “maternidade” um tanto mais trabalhosa, com maiores desafios, algumas angústias e medos, mas de forma alguma somos infelizes ou nos sentimos castigados por isso. Aprendemos a comemorar qualquer evolução/resposta, sendo ela grande ou pequena. Aprendemos que com amor, dedicação e muita repetição, a evolução acontece, mas sempre no tempo dele. E precisamos respeitar isso. Precisamos controlar nossa ansiedade e perceber que as transformações vão acontecendo. O Enrico é um ser de luz. Por onde passa transborda amor. Carinhoso ao extremo, conquista o coração de todos que o conhecem. Ele sorri com os olhos e isso me faz ter certeza de que o meu menino é feliz. Para mim isso é o mais importante de tudo!”

25

autismos