• contato@autismos.com.br

AS FÉRIAS CHEGARAM, E AGORA?

AS FÉRIAS CHEGARAM, E AGORA?

As férias estão aí! 
Mais um desafio, pois tudo deve ser planejado com um zelo especial. É uma preciosa oportunidade para passar um tempo de descanso e construção com seu filho. Ajudá-lo em seu desenvolvimento e novas descobertas .
O texto abaixo escrito por Fernanda Marins, vice-presidenta do grupo, fará com que embarquemos numa deliciosa viagem de férias!

Chegaram as férias, período para exercitar a criatividade de todos que convivem com o autismo.

O período de curtir, mas também de praticar muita paciência e Amor.

Durante esse tempo, conseguimos mais cumplicidade, passeios mais divertidos, conquistas de novos carinhos (afeto), boas risadas e o melhor de tudo: SEM RELÓGIO / DESPERTADOR. Que maravilha!!!!

Na real, as férias de alguém com autismo têm que ser vividas,  não se esquecendo de pensar em detalhes que poderão desencadear as desorganizações (“famosas crises”).

Aqui em casa, paramos literalmente para as férias de final de ano, quando interrompemos os tratamentos terapêuticos, afinal, com o passar dos anos, nos 15 anos do Bernardo – não verbal, o percorrer desses 12 anos desde a descoberta, percebermos que TODOS nós precisamos de um TEMPO.

E agora???

A adolescência está sendo um desafio. Tudo muito novo para nós, estamos descobrindo um Jovem que gosta de: PUB, RESTAURANTES, PASSEIOS, VIAGENS, principalmente de Carro, e FESTAS (sim, com som! kkkk). O Bê, como o chamamos, assim como qualquer outro jovem típico ou atípico, está sentindo as mesmas explosões da tal Aborrecência, mas do jeitinho dele. Então, mais do que nunca, criatividade em ação.

Uma das coisas que funciona muito bem, até por não ser verbal, é sempre mostrarmos figuras ou pesquisa de onde iremos no computador; o que possivelmente vamos encontrar: pessoas, música, cardápio; como também, se for o passeio a um lugar mais longe, mostramos a estrada, ou o meio de transporte o qual usaremos.

Dependendo da ansiedade do Bê (autismo com hiperatividade eheheheh – oscila bastante), pensamos aonde ir.

Por exemplo, um PUB que o Bê amou, curtiu a comida e o local foi o de Indaial. Procuramos pegar uma mesa no deck, onde se escutava a música, mas de forma não tão intensa. Além disso, a mesa dava a sensação de liberdade, enxergavam-se a rua, as pessoas; e, ainda, a comida era muito gostosa. Dica muito legal, que, para o Bê, funciona maravilhosamente bem! Convide alguém para ir junto, amigos…. Nesse dia, tivemos o  amigo Victor. Foi muito show!!!

Outra sugestão muito bacana são as caminhadas ao ar livre ou andar de bike (aqui tem que ser 2 lugares, pois o Bê não anda de bicicleta sozinho) em um domingo na rua XV de Novembro em Blumenau, ou em Balneário Camboriú na ciclovia (aviso IMPORTANTE: na época das festas de final de ano, não aconselho, é congestionada). Caso esteja São Paulo, o passeio pode ser na maravilhosa Avenida Paulista (essa não tem erro, pois apresenta uma infinidade de coisas a fazer), ou estando em Floripa uma caminhada nas Dunas (Sensacional!!!).

E o Restaurante? Bom de garfo como os pais! Dica: mostramos aonde gostaríamos de levá-lo e, quando chegamos ao local, ELE escolhe a mesa. AHAM!!! Aqui ajuda muito, afinal ele participa, trabalhamos sua autoestima, valorizamos sua escolha e assim sabemos onde ficará mais à vontade.

Pessoal!!! Aqui para não potencializar a famosa ansiedade desnecessária, aprendemos a não avisar com antecedência. Se formos viajar, começamos a falar sobre o local na semana, amas sem dizer a palavra chave VAMOS, apenas mostrando o lugar, um dia antes. Quando vamos separar as malas, afirmamos e montamos figuras, fazemos um calendário de dias.  No caso de um passeio como ir ao cinema, pub, barzinho (sim, é JOVEM e está muito bem acompanhado kkk) em, torno de uma a duas horas antes, dependendo do dia apenas um pouco antes de se arrumar para sair.

Aprendemos que andar, andar mesmo na praia, banhos de mar até ficar murcho, contribuem muito para o bem-estar, assim como eventos em casa, adora um churras com convidados.

Estamos em uma nova fase, então, descobrindo  com ele. A única certeza de que tenho é Importância da Conscientização em relação ao Autismo!!! Conseguimos um pouco mais de respeito, a sensibilização do outro em tentar interagir e participar do jeito dele.

A pausa aqui ( férias), volto afirmar, é fundamental para todos nós, mas principalmente, para o Bernardo. Então que venham as FÉRIAS de 2019 – SURPREENDA-ME!!!!

autismos