• contato@autismos.com.br

A Terapia é Viver – Eleandra Barbieri

A Terapia é Viver – Eleandra Barbieri

A Terapia é Viver
Logo chegaremos no período de férias e teremos pais que entram em “parafuso”, pois não sabem o que fazer com tanto tempo livre, ou pais que respiram aliviados com os filhos em casa.
E, nada muda, quando pensamos em filhos atípicos.
Mas temos que pensarmos na rotina puxada de atividades que nossos filhos têm.
Eles também precisam de um momento para respirarem e aqui, deixo a reflexão: A TERAPIA É VIVER.
Pensar fora do padrão, sem lugar fechado, sem mesinha…
Pensar neste mundão de cheiros e gostos que estão disponíveis.
É claro que temos que percebermos, se seus filhos têm rotina rígida, questões sensoriais muito graves.
Neste caso, por que não pensarmos no quintal de casa, como um mundão a ser explorado?
Pise e role na grama, sinta o chão, a terra, a areia. Banho de mangueira, banho de chuva, sentir o vento.
Explore sua cozinha, faça um bolo…esconda tesouros na sua casa….faça um piquenique no jardim, ou no meio da sala…
Se seu filho gosta, explore parques, natureza, praia…viagens…explore locais que nenhum de vocês conheça.
Sintam juntos, o frio na barriga que um lugar novo proporciona.
Se precisar, monte histórias sociais, use o calendário, ou deixe para contar mais próximo ao evento… (Já perceberam quantas coisas podem ser trabalhadas?)
Aproveite, use o mundão, para estimular atenção compartilhada, estimular a comunicação…seu filho é não verbal? Estimule os gestos, a comunicação aumentativa alternativa, estimule o apontar. Seu filho fala? Que tal estimular melhor seu discurso? Use e abuse dos recursos que a VIDA nos dá!
E se, por ventura, não der certo (sobrecarga sensorial? Ansiedades? Crise?): RESPIRA!!
Volta pra casa, diz que está tudo bem.
Amanhã é outro dia e lembre-se: para um grande salto, precisamos dar dois passos para trás!
Mas em hipótese alguma DESISTA.
Viver é estimular…
Viver é terapia…
Terapia é viver….
Boas férias
Para nossa região: temos parques lindos na região, praias lindas, usem sem moderação!
Eleandra Barbieri

 

autismos