Por ser um direito universal e assegurado por lei, o acesso à educação deve ser oferecido a todo e qualquer ser humano, inclusive àquelas pessoas que necessitam de acompanhamentos e adaptações para a compreensão do conteúdo exposto.
O ponto de partida para a aplicação de atividades adaptadas está justamente na capacitação dos professores e no engajamento que a escola dá a essas crianças ou adolescentes.
Essa capacitação dos profissionais é o elemento-chave na elucidação de tarefas e didáticas que possibilitem o sucesso de métodos de ensino e diminuam as diferenças nos resultados apresentados pelos alunos atípicos.
Dicas de atividades voltadas para alunos com deficiência:
– O uso de itens como fita crepe, tintas, carrinhos, carimbos e massinha é ideal para estimular a coordenação viso-motora; e aprimorar as habilidades táteis;
– Utilização de brinquedos que possam incentivar a leitura, a associação de palavras e dos objetos e a categorização;
– Personagens do universo infantil e que desperte interesse na criança. Isso pode fazer com que ela desenhe e construa tanto o seu silabário quanto os jogos temáticos, o que favorece a alfabetização;
– Utilização de pastas com plástico, atividades em sulfite envoltas em papel contact e canetão de lousa branca para que o pequeno risque, brinque e apague, promovendo a psicomotricidade do aluno;
Os detalhes farão toda a diferença no aprendizado e na experiência do estudante!
⠀⠀
Romeu Sá Barreto de Oliveira
Advocacia especializada em Direito dos Autistas
Fonte: Neurosaber – https://bit.ly/35qlE7P
Descrição da imagem: #PraCegoVer
Card com fundo azul claro com faixa branca centralizada e escrito em azul claro: #valeapenarepostar. Na parte inferior à direita, está a logo do Grupo AutismoS: 4 mãos coloridas: amarela, vermelha, azul clara e azul escura; logo abaixo das mãos, há escrito: autismoS em azul escuro; e na sequência, grupo de apoio educacional.